No dia 1º de fevereiro desse ano a Operação Calvário prendeu o ex-assessor na Secretaria de Administração do Governo do Estado da Paraíba, Leandro Nunes Azevedo. O servidor cumpria missão de ir receber caixas de vinho com dinheiro de propina da Cruz Vermelha Brasileira para entregar a agentes públicos e pagar despesas da campanha eleitoral, segunda denúncia do Ministério Público.

Na mesma Operação foram cumpridos diversos mandados de busca e apreensão, em endereços inclusive de propriedade da ex-secretária de Administração do Governo do Estado, Livânia Farias.

Um dos alvos dos mandados de busca e apreensão da Operação Calvário, autorizados por ordem do desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça da Paraíba, foram endereços do ex-secretário de Saúde, e de Planejamento do Governo do Estado da Paraíba, Waldson de Souza.

Waldson de Souza foi secretário de Saúde do Estado em 2011 , sendo responsável pela assinatura do primeiro contrato com a Cruz Vermelha Brasileira, em julho de 2011.

AIJE DO EMPREENDER – Em 2014 a Procuradoria Regional Eleitoral após juntar documentos, depoimentos e outras provas, ajuizou uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral – Aije – por abuso de poder político e econômico contra diversos agentes públicos na Paraíba. Entre os quais estão o ex-governador Ricardo Coutinho, a ex-secretária de Educação do Estado, Márcia Lucena, atualmente prefeita da cidade de Conde, e Waldson de Souza, ex-secretário de Saúde, e Planejamento, e alvo das investigações da Operação Calvário.

O julgamento da Aije foi pautado para a quinta-feira, da próxima semana, dia 11, no Tribunal Regional Eleitoral. O relator da ação é o desembargador José Ricardo Porto.