Representantes da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e de diversas esferas do Ministério Público se reuniram na tarde desta segunda-feira (11) para discutir efeitos da manutenção do serviço de transporte por trem na disseminação da Covid-19. Na ocasião, o procurador-geral do Município, Adelmar Régis, solicitou formalmente a paralisação dos serviços, uma forma de evitar aglomerações e reduzir a possibilidade de contágio da doença.

A circulação de trens acontece entre as cidades de Cabedelo, João Pessoa, Bayeux e Santa Rita e aproximadamente 1,5 mil pessoas utilizam o serviço diariamente. “Temos nos articulado com outras prefeituras de cidades que compõem a nossa Região Metropolitana e que são atendidas pela CBTU e concordamos que a paralisação do serviço de trens é um ato importante, que vai contribuir com a segurança sanitária”, explicou Adelmar Régis.

Criativo: 728X90 728x90 Data de Veiculação: 13/05/2020 - 30/05/2020 */ var space = space || {}; space.runs = space.runs || []; space.runs.push(function () { space.ad('eyJjciI6NjIyNzEsImNhIjo0MTIzLCJwbCI6NDg2Mzl9').setSize(728, 90).setMacro('').fire(); });

Outra alternativa proposta pelo Procurador seria restringir o transporte apenas aos profissionais da rede pública e privada da saúde. O encontro aconteceu por videoconferência e contou com a participação do superintendente do órgão na Capital, Paulo Barreto, além de outros membros do corpo diretor. Ainda participaram integrantes do Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério Público da Paraíba (MPPB).

A demanda, segundo o procurador-geral, foi bem recebida pelo órgão. “O superintendente compreendeu nossa iniciativa e se comprometeu a levar a demanda à administração central do órgão, na esfera federal”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *