Com a rede de saúde em colapso e pacientes de Covid na fila, o governo de Rondônia pediu socorro ao Ministério da Saúde para o envio de pelo menos 30 médicos ao estado.

Segundo o governo informou no último domingo à equipe de Eduardo Pazuello, 20 leitos de UTI estão inativos por falta desses profissionais.

Em ofício, o estado diz que tem 41 pacientes que aguardam a abertura de vagas, sendo que a maioria está em estado grave e precisa de terapia intensiva voltada para a Covid-19.

Raphael Luis Pereira Bevilaqua, procurador da República em Rondônia, disse que o problema se agrava, já que o Exército requisitou mais 15 médicos da rede pública de Saúde para convocação no serviço militar e se mostrou irredutível em adiar a medida, mesmo após pedidos insistentes.

Enquanto isso, o MPF tenta articular junto às faculdades de medicina daquele estado a antecipação da formatura de 46 alunos, na tentativa de suprir a escassez de profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.